Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

6.11.09

O que me espanta
não é a morte
mas a vida, diga-se
a subvida da sobrevida.
O que me espanta
é a inércia do corpo
seu cego apetite
sob a alma inapetente.
O que me espanta
é o fôlego de fera
hibernando na crise
gelo sem primavera.
O que me espanta
é a resistência masoquista
que entre a ferida e o nada
do nada se acovarda
e resigna-se à ferida.

[Astrid Cabral]

^^

7 comentários:

Daniel Savio disse...

Alguns prefere esta sobrevida,
pois ainda encerra a ilusãp que nos encantou...

Fique com Deus, menina xará Dani.
Um abraço.

Abstrata disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcelo Mayer disse...

oq me espante é saber que numa bela tarde um criado mudo pode cair em minha cabeça. a morte é fichinha. a dor que é aterrorizante.

! Marcelo Cândido ! disse...

belas peras...ohhh
e ótimo texto
! ! !

Vinicius disse...

Danni,

- Entre a vida e a sobrevida há uma escolha a qual pende cada qual devido
ao peso da balança. Ótimo final de semana.

Abraço.

Luna Sanchez disse...

É...viver é um ato de ousadia!

Beijo, querida.

ℓυηα

Marcelo disse...

o diliça