Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

24.10.09

Vem comigo, vem?





Tenho um lugarzinho divinamente bonito para te mostrar. Um lugar muito escondido, tal como um pensamento se esconde dentro de um pensamento, na floresta verde, modesta, silenciosa. Uma ravina amena e branda aonde nunca ninguém vai.
É um lugar tão quente, enterrado por entre as árvores, tão docemente oculto, é aí que imagino que gostaria de te beijar, com beijos íntimos, brandos, doces e demorados, com beijos que proíbem todas as palavras, mesmo as mais belas e mais perfeitas.
É um lugar tão delicado e remoto que não vem mencionado em nenhum guia de viagens. Um pequeno trilho, serpenteando por entre a vegetação espessa, conduz à ravina, ao lugar fabuloso onde te quero mostrar, a ti, quanto te amo, onde quero prestar o meu culto, a ti, meu anjo.
Neste pequeno reduto, os braços entrelaçam-se como se tivessem vontade própria, e os lábios tocam-se como se tivessem vontade própria.
Não sabes ainda como eu beijo bem...
Vem então ao lugar onde nada existe para além do restolhar amável das árvores altas, aí ficarás a saber. Não direi uma palavra, e também tu não dirás uma palavra, ficaremos os dois em silêncio, só as folhas murmurarão levemente e a luz doce do sol irromperá através das graciosas ramadas.
Oh, como será mudo, como será mudo o momento em que os nossos lábios se juntarão com fome e sede amorosa, como será doce o momento em que nos amaremos na ravina silenciosa e amável. Amar-nos-emos e trocaremos carícias até que chegue a noite, e com ela as estrelas com brilho de prata e a divina lua. Nada teremos a dizer um ao outro, pois tudo será apenas um beijo, um beijo infinito, continuado, arrebatador, por horas e horas a fio. Quem quer amar já não quer falar, pois quem quer falar já não quer amar. Oh, vem comigo ao lugar sagrado e oculto da acção, ao lugar da prática, onde tudo se perde em concretização, onde tudo se afoga e morre no amor. Os pássaros cantarão à nossa volta com chilreios alegres, e à noite seremos rodeados por um silêncio divino. Aquilo a que chamam mundo ficará atrás das nossas costas, e nós os dois, cativos do desejo, seremos filhos da terra e sentiremos o que é viver, sentiremos o que é existir. Quem não ama não existe, não está aqui, está morto. Quem tem vontade de amar levanta-se dos mortos, e só quem ama está vivo.

[Robert Walser]

^^

6 comentários:

Luna Sanchez disse...

Duvido que o ser em questão resista a um convite desses. ;)

Lindo, lindo.

Beijos, amiga. Dois.

ℓυηα

Abstrata disse...

Lindooooooooooooooo...
Sabe que me deixaste com vontade desse lugarzinho.


Beijinhos

Menina Misteriosa disse...

Concordo com a Luna... acho que ele não resiste a um convite assim... tão lindo... tão cheio de emoção!
Muito bonito! Gostei!
Beijos

Vampira Dea disse...

Lindo demais!!!!!!!!!!!

Daniel Savio disse...

Estranhamente, parece ser feito para o teu novo blog...

Um beijo que tenta chegar o céu da boca do amado...

Fique com Deus, menina Danni.
Um abraço.

J.R disse...

Vi esse vestido colorido... Lembrei de um texto meu...

http://phalador.blogspot.com/2009/10/hoje-pensei-assim.html

Algo em comum..