Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

7.10.09


Onde os limites
ao poder dum amor cego
sob a venda negra da paixão

Onde os limites
se
a pele é seda
a dor é prazer
o obsceno aguilhão
a exaustão prado ameno

Retirada a venda à paixão
resta a calma no olhar
ao mais fundo da alma...

[Daniel Sant'Iago]


^^

2 comentários:

Ipnauj disse...

La pasión nos mueve hacia donde queremos llegar y el cariño nos mantiene ahí.

Un gran saludo.

Luna Sanchez disse...

Pois é, como saber quando parar, se tudo é tão bom, né, amiga?

...

Beijos, dois.

ℓυηα