Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

15.10.09

Na Nossa Casa

Quando anoiteceu
Nenhuma luz na nossa casa se acendeuAonde você estava?
Aonde estava eu?

Se tudo parecia nada, ainda assim...

O nada era mais do que o que você deixou no fim.

Quando aconteceu

Quando algo em que a gente acreditava se perdeu

Por onde você andava?

Por que não me socorreu?

Não é o fim do mundo é só o fim de tudo que fomos nós
Sem flutuar e sem tocar o fundo
Sempre sós.
[Composição: Herbet Vianna]
^^

2 comentários:

Franzé disse...

É estranho o pensar da maioria das pessoas.
Cada um vem para um curto tempo na terra.
Sem saber o por quê, tentando achar um propósito para a sua existência.
De uma coisa tenho a convicção.
O homem tá aqui determinado pelos seus genes.
Que selecionados pela natureza sobreviveram as intempéries da vida.
Errando e acertando aleatoriamente adaptaram-se ao meio.

Luna Sanchez disse...

Administrar o fim não é fácil, mas é essencial.

* Amo Herbert Vianna. Desde sempre.

Beijinho.

ℓυηα