Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

21.10.09


Guardas tudo de mim
– não sei se entendes
a ternura da dádiva –
também não te pergunto…
para quê?

O meu amor é isto:
desejar-te em segredo
pouco esperar do que vier de ti
e nada te pedir.

[Maria Aurora Carvalho Homem]

^^

3 comentários:

Luna Sanchez disse...

Gosto de reter os que me fazem bem, mas só na lembrança.

Beijo, Dannizinha.

ℓυηα

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

Eu também Luninha, tudo que não presta, eu jogo no lixo...

=)

Menina Misteriosa disse...

Tô com alguns aqui, em fila, pra jogar no lixo... risos...
O amor sem expectativas e que não exige é puro. Real. Desapegado.
Só não concordo com o segredo. Dizer a quem se ama que o deseja é uma delícia!
Beijos