Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

14.10.09

Batons e Cerejas


Recebi por email este texto, entretanto, me 'enviaram' sem autoria. Mas, mesmo assim, compartilho com vocês:

"Deixaste o batom vermelho em cima da mesa. Sempre quis dizer que o teu batom vermelho me fazia lembrar cerejas. Tu fazias-me lembrar cerejas. Sabias a cerejas. Penso que é um elogio. Afinal, quem não gosta de cerejas? E, no entanto, nunca te disse. Não te disse muita coisa.
Olho para o relógio. Já passa das dez da noite. Levanto-me e vou fazer um gin tónico. Sento-me e dou um pequeno gole. Pouso o copo na mesa. Lembro-me como costumavas beber o teu gin, com três pedras de gelo. Sempre pelo copo, nunca por uma palhinha. Rias-te quando te diziam que gin era uma bebida de homens. Rias-te e o teu batom vermelho fazia-te parecer mais mulher que nunca. Reparo que me esqueci de pôr uma base por debaixo do copo. Lembro-me como te rias sempre que eu te chamava a atenção para isso, como troçavas do meu cuidado com os móveis, do meu zelo de quase dona-de-casa. Muitos poderiam também dizer que essa tarefa te competia a ti, como mulher que eras e eu seria o estouvado homem que pousa a bebida na mesa, sem se importar se suja os móveis ou não. Se ouvisses alguém dizer uma coisa dessas, provavelmente ririas muito, também. Não te importavas com os politicamente-correctos, com as convenções, com as etiquetas. Simplesmente sentavas-te no sofá com a maior descontracção, davas um gole no gin tónico, deixavas o copo manchado com o teu batom vermelho e pousava-lo na mesa (sem base). E rias, rias muito. Eu costumava dizer-te que eras linda. E tu rias ainda mais e eu sentia-me um tolo ao dizê-lo. O problema é que só agora percebi porque é que te rias. Eu devia saber que tu, com o teu gosto pelo não-convencional, não gostavas que te considerassem linda. Em parte gostavas, claro, qualquer mulher gosta. Mas não era isso aquilo que querias destacar mais em ti.

Uma mulher linda não chega. Não é uma Mulher.
Sei hoje que preferias se eu te dissesse que eras uma mulher interessante.
Porque uma mulher linda não bebe gin tónico. Uma mulher interessante sim.
Uma mulher linda não ri demasiado, contém-se.
Uma mulher interessante ri-se naturalmente, com naturalidade.
Uma mulher linda põe uma base por debaixo do copo,
Uma mulher linda garante que o seu batom não mancha o copo.
Uma mulher linda sabe cozinhar.
Uma mulher linda está sempre penteada.
Uma mulher linda não fuma, porque isso lhe amarelece os dedos.
Uma mulher linda vai ao ginásio todas as semanas.
Uma mulher linda não come um bife, prefere uma salada.
Uma mulher linda não chega atrasada.
Uma mulher linda combina os sapatos com a mala.
Uma mulher linda não beija um homem só porque sim.
Uma mulher linda não vai para debaixo da chuva propositadamente, enquanto se ri, ri, ri.
Uma mulher linda nunca se ri quando lhe dizem que é linda, sorri apenas.
Nunca poderias ser uma mulher linda, não. Eras tão mais do que isso... Eras genuína. Eras única. E eras confiante na tua singularidade.

Uma vez beijaste-me a meio de uma frase. E as tuas cerejas valeram por mil palavras.
O teu corpo valia por um discurso inteiro. Eu costumava dizer que um dia, quando fôssemos mais velhos, íamos viver para uma casa ao pé da praia e que todas as noites bebíamos um gin tónico na varanda e eu pegava na guitarra e tocava algo para ti.
Aí, tu já não rias, sorrias apenas. E respondias com um simples 'talvez'.
Depois passavas os dedos pelo meu cabelo e olhavas para o fundo dos meus olhos. E o teu olhar era triste, tão triste. Acho que adivinhavas o que ia acontecer.

O gin tónico continua em cima da mesa. Perdi a vontade de o beber.
Vou buscar a guitarra. Passo os dedos pelas cordas e lembro-me como era passar os dedos pelas tuas costas. É impossível esquecer-te, estás em todo o lado. Esta casa cheira a ti. Respira-se o teu perfume em cada canto, em cada livro, em cada disco. Há fotografias tuas por todo o lado, aquelas que eu te tirava (e tu dizias: "Um dias vou saber tirar fotos bonitas como tu tiras").
O teu sorriso está em todo o lado, as cerejas estão por todo o lado. Fui atrás de um Channel barato, duma suposta mulher linda. Duns sapatos a condizerem com a mala. De um corpo de modelo e de uma alma vazia. De uma mulher que não ria, sorria apenas. Que fui eu fazer?
.
.
.
Cheguei a casa e encontrei apenas um batom vermelho em cima da mesa.
Mas não era o teu, a marca era outra.
Aquele era Channel, nunca seria teu.
Aquele era a prova da minha traição, da minha loucura. Nem deixaste um bilhete. Mas sabes?

Aquele batom nunca, nem por uma vez, soube as cerejas."
^^

4 comentários:

εïз εïз Doce Essencia εïз εïз disse...

Oiee Borboleta ^.~

Olha eu aquiiiiiiii...rs

Escuta,lindo esse texto heim ?
Nossa ate me arrepiou !
Olha,tem muitos itens do " Uma linda mulher...mas vou deixar aqui 3 que mais me identifiquei :

*Uma mulher linda põe uma base por debaixo do copo,
**Uma mulher linda garante que o seu batom não mancha o copo.
***Uma mulher linda sabe cozinhar.

Doce Danni Borboleta ( ui que fofo ate texto do imortal Mario Quintana achei aqui...rs \o/ )com certeza ja somos pra de grandes amigas,podes ter certeza que encontrou uma amiga borboleta para todas as hrs,viu ?

Fiques com Deus

Doces Beijos

Doce Essencia

Franzé disse...

A minha mais louca fantasia
O meu maior desejo
A minha maior vontade
É apenas um beijo
Na sua boca carnuda
Pintada de carmim
Com gosto de cereja.

Bjos menina linda.

Silvia Gonçalves disse...

A boca é linda.. e o texto combina com os futuros posts nossos...??...r.s...

;)

Bjos

Luna Sanchez disse...

Que bonito, Dannizinha...

Ser interessante é, de longe, mais vantajoso, de fato. Mas ser interessantemente linda, é o céu! \o/

Dois beijos,

ℓυηα