Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

26.10.12

Indefinidamente Plasmada



Sabes? Um outro tempo e outro lugar clamam
a água, o verde, a sofreguidão do sémen,
a insidiosa curva dos meus braços.
Lanço as sementes à terra úbere,
mergulho as minhas raízes na seiva do vento
e ergo-me sobre o mesmo manto azul que, de ti
a memória me traz.


Como te amo assim, indefinidamente plasmada no silêncio!



[Bernardete Costa]



^^

Nenhum comentário: