Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

30.9.09

**Pra fechar o mês:

Primeiro a tua língua molha o meu
coração, num vagar de fera
. Estendo
aurículas e ventrículos sobre a mesa, entre
os copos, que desaparecem. Não há mais
ninguém no bar cheio de gente. Abres-me agora os
pulmões, um para cada lado, e sopras. Respiras-
-me. O laser das tuas palavras rasga-me o lobo
frontal do cérebro.
A tua boca abre-se e fecha-se,
fecha-se e abre-se, avançando
por dentro da minha cabeça. As minhas cidades
ruem como rios, correndo para o fundo dos teus olhos.
O tempos estilhaça-se no fogo
preso das nossas retinas. O empregado do bar
retira da mesa o nosso passado e arruma-o na vitrine,
ao lado dos exércitos de chumbo.
Entramos um no outro,
abrindo e fechando as pernas
das palavras, estremecendo no suor dos
olhos abraçados, fazendo sexo
com a lava incandescente dessa revolução
imprevista a que damos o nome de amor.


[Inês Pedrosa, in Egoísta, nº 32]

^^

9 comentários:

Abstrata disse...

É por aí...
amor e amor


bjos

Paulo Tamburro disse...

Em primeiro lugar, gostaria de pedir sinceras desculpas, pois cometi uma falta imperdoável, ou seja, apesar deste blog ser meu seguidor , eu tinha a certeza de que ,também era linkado vocês.

Porém, não era.Houve algum problema mas, agora garanto que sou seu seguidor.

Que lindíssimo texto.

Verdadeiramente um bordado de palavras, só comparáveis aos bordados que tecem as rendeiras de bilros.

É exatamente, assim: quando estamos bem e muito melhor acompanhados ainda, os lugares por mais cheios que estejam, esvaziam-se e só temos atenção, para aquela atenção que recebemos.

É verdade também, que passamos respirar um ao outro literalmente, e destes mornos suspiros e sussuros, nascem nossos novos e inadiáveis prazeres.


Texto sensualíssimo, correto destes que pegam na veia e de primeira.

Muito bom.

Agora voltarei aqui, com mais calma, pois tenho muito a aprender e a sentir junto com vocês!

Um abração!

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

Abstrata, minha flor! Gostou né? É claro que amor é bem melhor que solidão. Mas, pense desta forma: é preciso (re)conhecer as sombras, só assim conseguiremos valorizar a luz...

Bjs!!!


Paulo,
Não se preoculpe, pode seguir à vontade, seja sempre bem vindo!
Adorei seu comentário!

Obrigada! =)

Bjs!


Danni

Luna Sanchez disse...

"O tempo estilhaça-se no fogo..."

Esse a gente lê com o coração na garganta! Amei!

Beijo, Danni.

ℓυηα

Maria disse...

Dani gostei
....

Tem prendinha para você na minha casa vá buscar seu selinho....


:)) Doce Carinho

menina Rodrigues disse...

gostei!!


beijo

meus instantes e momentos disse...

gosto de ti, dessa sensibilidade em postar .
É bom voltar aqui....
Apareça (mesmo)
Maurizio

Meu Cantinho disse...

Oi amiga, tem um selinho de presente pra você lá no meu cantinho, você pode ir lá pegar?...

Beijos e que vc tenha um lindo dia.

Ipnauj disse...

El buen sexo es para los exploradores que saben recorrer la geografía.

Un gran saludo.