Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

16.9.09

Amor e seu Tempo

Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.

É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe

valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.

Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde.

[Carlos Drummond de Andrade]

^^

5 comentários:

Maria disse...

Poema lindo, tenho aprendido a gostar de "Carlos Drummond" com você, e mais uns blogs de minhas amigas virtuais que também, descrevem textos de "Drummond " Vou ver se encontre em portugal um livro dele.

:)) Doce carinho para você

M.M.G.

Layara disse...

Amor começa a tarde e se estendo nos braços da NOite e amanhece nas manhãs de saudades!

ótimo dia1

Um beijo do meu Horizonte!

[aqui vai chover e eu vou gostar]

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

Maria, que bom poder lhe proporcionar contentamento com os textos do Drummont. Volte sempre!

Bjs!



Layara, o amor começando cedo ou tarde, pra mim tanto faz. O importante é começar!!!
Bjs querida!

=)

Amanda Manara disse...

Precioso textos... y eso que mi desconocimiento del idioma no permite saborearlos en todo su contenido.

Fotos magníficas y muy sugerentes.

Un beso

Luna Sanchez disse...

Amor é a prática, livre de tantas e tantas teorias...rs

Beijos de sexta, amiga.

ℓυηα