Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

12.8.09

Tréguas

Este poema é para ti.
é uma oferta de tréguas
dizendo que
nada no teu coração negro
me poderá assustar.

Olhei tempo demais
para o meu próprio coração.
Obrigada pela dádiva
das tuas incertezas.

[Eunice de Souza]

^^

5 comentários:

Rê :) disse...

Olá!!!
Thanks por passar lá no blog!

Achei linda essas borboletas flutuando por aqui!!!

Bjos ;)

Denise disse...

A incerteza do outro nos alerta
a

ler

ta

ler


carinho

De

Blue disse...

Na verdade, devemos sim aprender com as incertezas. Fácil? Claro que não...

Beijos

Luna Sanchez disse...

Danni,

Aprender a enxergar os outros pode ser um bom caminho para também aprendermos a enxergar para dentro.

O contrário seria mais lógico, mas a lógica nem sempre se faz presente nessa vida de gente grande, enfim.

Beijos, querida.

ℓυηα

Vampira Dea disse...

Lindo blog, muito delicado, cheio de boas verdades.