Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

13.8.09

Pré- Escrita

Esta Saudade de te chamar pelo nome
Este receio de te chamar pelo nome

Esta saudade de manter a palavra
Este receio de apenas manter a palavra

Esta saudade de uma vida que não dê em poema
Este receio de um poema que antecipe a vida.

[Ulla Hahn]

^^

5 comentários:

TetÊ disse...

Danninha,

mas acabou em poema, não?

Pena vida real não ser assim! saudade de vc! muitas!


BjO!

Luna Sanchez disse...

Ai, esse frio na barriga, essa divisão do coração, entre tentar, arriscar, mas não querer colocar em jogo o que parece certo...

Tão humano, tão familiar.

Beijos, Danni.

ℓυηα

Vampira Dea disse...

´Seria bom se tudo se transforma-se em poemas...

Jéssicα disse...

Estou seguindo seu blog *-*
Amei akii

bRiAnNa disse...

ola tambem tenho um blog similar a este mas ainda 'pekeno ' na blogosfera. ando a ler outros pa melhorar o meu e gstava ke acessassem e me dessem opiniao ok? http://22brianna.blogspot.com/ obrigada