Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

4.8.09

*Eu vou...

Hoje vou levantar-me e vou estar contente...
(...)
Vou andar por mim dentro em visita.

Vou penetrar-me, a mim própria ter-me, ter-me...

Vou a mim própria ser-me, vou respirar-me, rir-me, vou-me a mim própria abrir-me, a mim própria despir-me,...
a mim própria dançar-me,...
com meu amor afogar-me, com minha angústia ferir-me, com meu sono
dormir-me, com meus sonhos minha esperança erguer-me, com minha loucura endoidecer-me,... ...
Vou gritar por ti...
até que tu me oiças e possas chamar-me pelo meu nome!

[Ana Hatherly]
^^

Um comentário:

Luna Sanchez disse...

Overdose se si mesma...sabe que não é má idéia, moça?

Gostei.

Beijo de quarta-feira.

ℓυηα