Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

7.8.09

*

Neve,
abençoada neve,
cai do céu
como moscas desbotadas.
O chão já não está nu.
O chão vestiu as suas roupas.
As árvores irrompem entre lençóis
e cada ramo veste a meia de Deus.

Há esperança.
Há esperança em todo lado.
Eu mordo-a.
Alguém disse uma vez:
Não mordas sem saberes
se é pão ou pedra.
O que eu mordo é todo pão.
Elevando-se, fermentado como uma nuvem.

Há esperança.
Há esperança em todo o lado
Hoje Deus dá leite
e eu tenho o balde.

[Anne Sexton]

^^

3 comentários:

Blue disse...

E onde há esperança, existe vida!

Beijos

Luna Sanchez disse...

Nossa, que lição esse final, hein?

Baldes sempre a postos, então!

Beijo.

ℓυηα

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

Blue, nunca deixei de acreditar...

Luna, como sou muito "gulosa" tenho sempre uns três baldes a postos pra garantir...rsrsrsr


Bjs!


=)