Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

20.7.09

Sopro

"Implorando o sopro do ser divino,
o sopro que dá a vida,
o sopro de muita idade,
o sopro das águas,
o sopro das sementes,
o sopro da fecundidade,
o sopor da abundância,
o sopro do poder,
o sopro da força,
o sopro de todas as espécies de sopro
pedindo o seu sopro,
inspirando o seu sopro no calor do meu corpo,
incorporo seu sopro
para que vivas sempre luminosamente."

Poema ameríndio
(mudados para português por Herberto Helder)

4 comentários:

°•~ Miℓєną °•~ disse...

Dani minha irmã do coração...passei pra te desejar um feliz dia do amigo!!!

Te amo!!!


=)

PeggY disse...

Heiiii,
feliz dia (finalzinho) do amigo pra você!!!


BjOOO

Maldonado disse...

A sabedoria ameríndia é bastante profunda... :-o

Luna Sanchez disse...

Sopro de inspiração, também, que torna tudo mais prazeroso.

Beijos, Danni.

ℓυηα