Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

17.6.09

Entendes o que digo?

Photobucket

"Os meus dedos seguem_te. Nas tuas palavras.
Vibro contigo. Quando te_encantas e quando me_encantas.
Perco a razão quando me_foges. Quando te_esquivas.
E continuas ali, dentro. De mim.

Semeio as tuas palavras na minha boca. digo_as em voz alta. Para te_ouvir.
E resvalo pelo tempo. Procurando_te. E achando_te dentro. De mim.

E não serei igual a ninguém.
Porque eu sou_te."

^^

Um comentário:

Tetê disse...

Danninha,

bom chegar aqui e encontrar um aconchego...
uma poesia assim, só encanta nossos dias...

bjs, Linda!