Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

18.6.09

Desabafo


O bom de falarmos com estrangeiros é a economia nas palavras. Gosto disso. E toda a gente nos percebe - parece magia. Treinamos um inglês quase sempre enferrujado e até falamos por gestos. Aprendemos tradições e hábitos novos. Porque o desenrasque é uma coisa linda.
Nada mais triste (e frequente também) do que sermos estrangeiros na nossa própria língua: esgotar todos os argumentos para depois escutar só o silêncio do outro lado.
Das duas uma: ou eles (os estrangeiros) são muito simpáticos comigo ou eu estou mesmo a morrer de vontade de sair daqui. Preciso urgentemente de um cenário diferente. Quero fazer um piquenique perto de um castelo qualquer na Escócia, por exemplo.
Já ficava às portas da alegria por isso... ai,ai....
É por estas e por outras que o desabafo nunca foi o meu forte.


^^

Nenhum comentário: