Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

6.6.09

(...)

Graça
"De muitas formas se diz a minha luz
De muitos modos me visita o meu anjo
Vem devagarinho...
... molda-me com
esperas...
... enfeita de estrelas os espelhos onde
me deito
...
por fim, numa pausa de murmúrios, numa paleta de cheiros bem fortes
deixa o meu corpo feliz"(...)


[Victor Oliveira Mateus, A noite e a voz]

^^

Nenhum comentário: