Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

2.3.09

A promessa

'Não vejo nada. O que eu vejo, não me agrada.
Não ouço nada. O que eu ouço, não diz nada.
Perdi a conta das pérolas e porcos que eu cruzei pela estrada... Estou ligada à cabo a tudo que acaba de acontecer. Propaganda é a arma do negócio. No nosso peito bate um alvo muito fácil. Mira à laser, miragem de consumo, latas e litros de paz teleguiada. Estou ligada à cabo a tudo que eles tem pra oferecer...
O céu é só uma promessa. Eu tenho pressa, vamos nessa direção. --->
Atrás de um sol que nos aqueça... Minha cabeça não aguenta mais...
Tu me encontrastes de mãos vazias; eu te encontrei na contramão. Na hora exata, na encruzilhada, na Highway da Super-informação.
Estamos tão ligados já não temos o que temer...'


[Composição: Humberto Gessinger]


^^

4 comentários:

Srta. V disse...

"Não vejo nada. O que eu vejo, não me agrada.
Não ouço nada. O que eu ouço, não diz nada. "
Até parece que foi eu que escrevi!

Rosângela - discípula aprendendo... disse...

Diante do caos... tudo pode acontecer...

ลndreia disse...

E que palavras...! *

Tecnenfermaginando disse...

lindo, danni...

como tudo neste espaço!

bjus!