Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

27.3.09

Perguntar não ofende...

"Queres lutar com quem?
Para doer aonde?
Para ser o quê?
Achas que ninguém vê?
E para quê fingir?
Porquê mentir e remar na dor?
Achas que ninguém vê?
.
Não me olhes assim!
Continuo a ser quem fui
Cada vez mais aqui...
não dances tão longe...!
... que eu já te vi
.
Também eu queria parar...
chorar...
cair...
para me levantar,
Te fazer sorrir...
não voltar a cair!"
^^

5 comentários:

Felipe disse...

Muito bom. Gostei!

:D

Tetê disse...

danninha... que coisa linda!!

bjus

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

Obrigada Felipe e Tetê.

Bjs!


=)

Raskolnikov disse...

LEMINSKI


Bem no Fundo


No fundo, no fundo,
bem lá no fundo,
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto

a partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela — silêncio perpétuo

extinto por lei todo o remorso,
maldito seja que olhas pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais

mas problemas não se resolvem,
problemas têm família grande,
e aos domingos saem todos a passear
o problema, sua senhora
e outros pequenos probleminhas.

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

Ródia, que liiindo!

Não sabia que por trás desses "óculos" existia tanta sansibilidade...

O que achas de substituir (na última estrofe) "o problema" por "encrenca"?

"...aos domingos saem todos a passear
o encrenca, dona encrenca
e outros pequenos encrenquinhas."

rsrsrsr...


Amei!
Apareça mais vezes...

Bjs!