Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

21.3.09

Loucura

'Vou vestir a minha loucura
Recostar a cabeça… e deixar-me levar em seus braços amorosos
Doce “deixar ir”… sobre nuvens de aconchego.
Doce sonhar… doce dormir…Vou vestir esta loucura minha...
Abraça-la como quem abraça a mãe…
Envolvê-la … porque é minha… porque sim…
Deixar que me tire de prisões forjadas para viajantes da vida sem
sonhos…
Eu quero a minha loucura…
Não a troco por rasgos de lucidez inúteis…
Mantos de enfado… sem quimeras… sem visões…
Visto-a como quem veste a pele…
Sua… envolvente… plena… absolutamente sua…
Visto-a e abraço-a…
Como quem se abraça a si…
Doce aventureira de sonhos rasgados do pensamento…
Doce Senhora deste sentir profundo…
Livre… pleno… MEU…'

^^

Nenhum comentário: