Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

23.3.09

(...)


"A sedução e o mistério te atraem, sei que primeiramente vens pelo meu brilho e pelo meu desejo de fêmea, mas não sabes que sou alma antiga, alma guerreira, alma ferida. Tenho meus medos, fraquezas e fúrias... são tantas as minhas ruas e todas elas se encontram."
[Carolina Salcides]
^^

2 comentários:

Raskolnikov disse...

Oi. Sugestão de leitura: do infeliz dinamarquês Kierkegaard: O Conceito de Angústia. Numa passagem ele se pergunta qual é a razão para a maior suscetibilidade feminina à angústia. Resposta: a sensualidade é uma forma extrema de liberdade...

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

Obrigada Ródia,

A resposta: "a sensualidade é uma forma extrema de liberdade..."
Confesso que essas suas palavras não me saem da cabeça.


Bjs!