Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

25.2.09

Taras de Amor

Jamais foi tão escuro no país do futuro e da televisão. E nesse labirinto o que eu sinto, eu sinto e chamam de paixão. E me apaixonam questões ardentes que nem consigo assim de repente expor. Mas entre elas há coisas raras que são belezas, loucuras, taras de amor... Há sonhos e insônias, ozônios e Amazônias e um novo amor no ar.
Entre bilhões de humanos e siderais enganos eu quero é te abraçar...


^^

Nenhum comentário: