Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

22.2.09

Precipício(me)

"Perto de mais tão longe em todas as manhãs
Teu corpo tua voz teu beijo mais que em mim
Cantamos os dias que passam e as horas vãs
Perto de mais tão longe e sempre assim
Forte por nós por cada passagem à janela
Minha sombra meu sorriso minha cor mais que ti
Navegamos rumo ao amor sem caravela
Forte por nós por cada passagem de ficarmos aqui
Sem recados sem palavras sem sequer esperar
Mais uma noite mais um pequeno embalo
No seguimento da lágrima tão funda carregada de chorar
Sem recados sem palavras ou com tudo a separá-lo?
Não ponhas os teus passos no meu areal
Deixa-me gritar-te todos os nós do sofrimento
Vou-me embora, pela porta fechada pela parede sem cal
Onde me mato sem te possuir no esquecimento..."
[Composicão: Pedro Branco] - Dos Meus Poemas
^^

Nenhum comentário: