Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

3.2.09

Mais de mim - I


Quase 30, é a filha mais velha dos três irmãos. Embora nada disto defina uma pessoa. Apaixonada por letras. Impressas e por escrever. Literaturas e seus movimentos literários. Apaixonada pela psicologia que há-de continuar a fazer nascer encantamento na mente e no coração. Prefere dias de frio intenso à qualquer outra coisa com mais intelectualidade. Prefere vasco à flamengo. Prefere olhos nos olhos ao sorriso impecável e vazio. Vive de percepções para sentir. Vive de sentimentos para sonhar. Depois 'serigrafa' emoções que vai deixando por aí.


^^

2 comentários:

Nine disse...

olhar, olhar,
e psicografar algum sentimento delirante, vindos do mais profundo do cosmos da alma, e desconhecidos, até então...
o mundo das palavras éh extremamente maravilhoso.
parabéns pelo blog...
abraço.
^^

Tecnenfermaginando disse...

linainha,
vc escreve de um jeito
mto
mto lindinho!

bju!