Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

28.1.09

Ar em movimento


O vento sublime desperta
Não há quem cale os múrmurios do Norte...
Dizem que um dia o Céu se abrirá em mil pedaços
E que a Noite cairá sobre a Terra com o seu manto diáfano.
Talvez o vento apenas queira dançar...
Talvez as harpas da saudade não soltem a melodia certa ainda...
Ainda hoje pensei que o Mundo era uma concha aberta!
E que, atrapalhados na busca do sentido do ser,
os homens acotovelavam-se entre si,
perdendo a razão!
E nesta perda, a inconsciência brilhava de êxtase,
no seu canto longínquo e suave.
Talvez sejamos como o vento...
Alegres, na dança colorida do ser,
bailamos ao som da vida...

^^

Nenhum comentário: