Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

10.3.10

Perco-me...


Perco-me em neblinas de verão anunciado. O sol de março cega-me a vista e os sentidos. Perco-me entre a vontade de dormir e de sonhar. E sonho com filmes românticos. Perco-me nas vontades adormecidas de quem duvida do que quer. E tenho medo.
Poderia eu perder-me em ti?

Ou já nem a primavera traz dias mais felizes?


^^

Um comentário:

Luna Sanchez disse...

Ah, um amor de inverno, com direito a vinho e lareira : eu me perderia, assim! =)

xoxo

ℓυηα