Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

23.12.08

Passos

"Dos passos que apressam e desvanecem,
dos passos próximos que se esquecem,
dos que correm por desencontros
dos susceptíveis confrontos.
Dos que quase perguntam,
dos indiferentes,
dos teus
e dos meus ausentes.
Dos que a curiosidade não quer espreitar,
dos que demoram a chegar.
Dos passos mansos,
dos perversos,
dos astutos,
dos dispersos.
Dos passos que a ansiedade julga ouvir,
dos que preferem desistir.
Dos que saem do chão,
dos que vivem na ilusão,
dos arrastados,
dos batentes,
dos desinteressados
e dos teus...quentes."


^^

Nenhum comentário: