Dizem que finjo ou minto tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto com a imaginação. Não uso o coração.
Tudo o que sonho ou passo, o que me falha ou finda, é como que um terraço sobre outra coisa ainda. Essa coisa é que é linda.
Por isso escrevo em meio do que não está ao pé, livre do meu enleio, sério do que não é. Sentir, sinta quem lê! [Fernando Pessoa, in "Cancioneiro]

6.12.08

Cheiros de Domingo


Domingos cheiram a chuva. Cheiram a pijamas pouco lavados, a filmes que já se reviu três vezes, a horas que escorrem lentamente. Cheiram a lembranças de quando éramos (mais) pequenos. Cheiram a uma amargura difícil de traduzir, a um nó na garganta. Domingos são vontade de chorar por tudo aquilo que perdemos, pela criança que já não somos.
^^

Nenhum comentário: